Lesão por pressão

Home/ Profissionais/ Lesão por pressão

O QUE É

Lesão por pressão é um dano localizado na pele ou tecidos moles, geralmente sobre uma proeminência óssea ou relacionado a um dispositivo médico. A lesão pode se apresentar como pele intacta ou úlcera aberta e pode ser dolorosa, e é resultado de uma pressão intensa ou prolongada em combinação com o cisalhamento. Acomete pessoas com mobilidade física prejudicada ou com a percepção sensorial comprometida, que foram submetidas a procedimentos, seja pelo tempo da cirurgia ou a posição. O tipo de anestesia utilizado também pode desenvolver temporariamente lesões por pressão. Há ainda indivíduos que dependem de dispositivos médicos e outros artefatos, como o uso constante de colar cervical, órteses, contensores mecânicos, cateteres, drenos, pronga nasal, entre outros.

CAUSAS

Fatores como microclima, nutrição equilibrada, comorbidades e a condição de vida do paciente interferem diretamente na intensidade e complexidade da lesão por pressão.

A lesão por pressão é considerada um problema que pode ser evitado em hospitais e demais serviços de saúde, mas que ainda é muito frequente.

A principal causa da lesão por pressão é a falta de movimentação, já que a pressão constante no mesmo ponto diminui consideravelmente a circulação sanguínea do paciente acamado, assim como a há a morte celular no local afetado. As regiões mais acometidas são a sacral, trocânteres, maléolos e também os calcâneos, por conta do constante contato com a cama.

DIAGNÓSTICO

Muitos fatores contribuem para o surgimento das lesões por pressão. Algumas condições aumentam o risco, como faixas etárias extremas – bebês e idosos -, alterações do nível de consciência, má alimentação ou condição nutricional de má qualidade, pele mal hidratada ou cuidada, mobilidade e umidade da pele, entre outros.

Classificação

A lesão por pressão apresenta um sistema de classificação, de acordo com a extensão do dano tissular e que podem facilitar o diagnóstico, a prevenção e o tratamento. São elas:

Estágio 1: Pele íntegra com eritema que não embranquece

Estágio 2: Perda da pele em sua espessura parcial, com exposição da derme

Estágio 3: Perda da pele em sua espessura total

Estágio 4 – Perda da pele em sua espessura total, com perda tissular

 Não classificável – Perda da pele em sua espessura total e perda tissular não visível

Tissular Profunda – Coloração vermelha escura, marrom ou púrpura, persistente e que não embranquece.

Classificações adicionais:

Lesão por Pressão Relacionada a Dispositivo Médico – resultado do uso de dispositivos médicos usados para diagnósticos e até terapêuticos. Geralmente, essa lesão tem o formato do dispositivo médico usado.

Lesão por Pressão em membranas mucosas – Encontrada quando há histórico de uso de dispositivos médicos no local do dano. Devido à anatomia do tecido, essas lesões não podem ser categorizadas.(1)

TRATAMENTO

Para o tratamento da lesão por pressão é fundamental avaliar o comprometimento do tecido da região afetada. Feridas profundas e com necrose ou tecido morto, necessitam de uma rigorosa e cuidadosa higiene, que deve ser feita por um especialista, um médico ou ainda pelo estomaterapeuta. É importante ainda, para melhorar a qualidade de vida e contribuir para o estado do paciente, utilizar curativos que acelerem a cicatrização da pele.

O tratamento eficiente de uma ferida depende integralmente de um protocolo de atenção total e dedicado, que envolve a avaliação correta das necessidades, controle das comorbidades, nutrição equilibrada e direcionada, assim como a aplicação de elementos com tecnologias que ofereçam resultados superiores e melhorem a estabilidade física e emocional do paciente.

A inspeção diária da pele é extremamente importante para identificar a existência de lesão por pressão.

A higiene é um fator preponderante. Os procedimentos devem ser adequados e eficientes, não só como fator de prevenção, mas de recuperação da região afetada pelas lesões por pressão. Todo esse processo deve ser executado por pessoas treinadas e capazes de agir sem comprometer ainda mais a saúde e o bem-estar do paciente.

PREVENÇÃO

A pronta identificação de pacientes em risco para desenvolvimento de Lesão por Pressão, por meio da utilização de ferramenta validada, permite a adoção imediata de medidas preventivas. A avaliação de risco deve contemplar os seguintes fatores:

  • Mobilidade;
  • Umidade;
  • Déficit sensitivo;
  • Estado nutricional.

Algumas situações podem potencializar o risco do paciente em desenvolver LP, entre elas podemos destacar o aumento da temperatura corporal, idade avançada, estado geral de saúde.

A escala de Braden é uma ferramenta muito utilizada para avaliar o risco de LP, dentre as várias disponíveis.

De acordo com a pontuação se estabelece o risco para o desenvolvimento da LP e aplicam-se as medidas preventivas.

O paciente que sofre de lesões por pressão pode ter o seu estado emocional abalado, já que tem um problema adicional a sua saúde para tratar. Mais do que cuidar do problema, o importante é evitar o aparecimento da lesão. Quem cuida do paciente em tratamento domiciliar como um familiar, cuidador ou enfermeiro contratado, tem a responsabilidade de prevenir e manter cuidado redobrado para que a situação não se agrave e prejudique ainda mais a condução do indivíduo. É importante saber que quanto mais dependente é o paciente, maiores são os riscos do desenvolvimento de lesões por pressão.

Referências

  1. Do G, Federal D. Segurança do Paciente : prevenção de Lesão por Pressão ( LP ). 2019; Available from: http://www.saude.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2018/04/6.-Seguranca-do-Paciente-prevencao-de-Lesao-por-Pressao-LP.pdf
  2. European Pressure Ulcer Advisory Panel and National Pressure Ulcer Advisory Panel PPPIA. Prevention and Treatment of Pressure Ulcers : Quick Reference Guide. Clinical Practice Guideline. 2014. 1–75 p.
  3. Edsberg LE, Black JM, Goldberg M, McNichol L, Moore L, Sieggreen M. Revised National Pressure Ulcer Advisory Panel Pressure Injury Staging System. J Wound, Ostomy Cont Nurs. 2016;43(6):585–97.

Profissionais de Saúde

Profissionais de Saúde Cuidando de feridas

Cuidando de feridas

Conceito e avaliação da ferida  Avaliação  A avaliação ocorre, em parte, para determinar as causas e fatores que podem afetar a integridade da pele e a cicatrização de feridas. A avaliação do paciente inclui história e estado de saúde atual (físico, emocional e estilo de vida); estado da pele (e ferida se aplicável); fatores ambientais, como […]

Continuar lendo
Profissionais de Saúde O diabetes e suas complicações

O diabetes e suas complicações

O Diabetes Mellitus (DM) é uma doença crônica metabólica de etiologia diversa caracterizado pela hiperglicemia, associado a uma deficiência absoluta ou relativa na produção, secreção ou ação da insulina, capaz de interferir no metabolismo de carboidratos, lipídeos e proteínas.

Continuar lendo
Profissionais de Saúde Úlcera venosa

Úlcera venosa

De todas as feridas que acometem os Membro Inferiores (MMII), as úlceras venosas (UV) são a mais comum delas e representam de 70 a 90% dos casos que não cicatrizam com facilidade (mais de seis semanas do início de sua ocorrência) e acabam se tornando crônicas.

Continuar lendo